FALSAS ACUSAÇÕES DE ABUSO SEXUAL ALASTRAM-SE POR TODO O PAÍS: PEDIMOS JUSTIÇA! 

TV Globo - RS entrevista Presidente da ONG APASE: Analdino Rodrigues Paulino Neto

     
 

Palestra de Analdino Rodrigues Paulino Neto, da ONG APASE - Associação de Pais e Mães Separados, www.apase.org.br sobre Falsas acusações de abuso sexual, na Audiência Pública sobre Alienação Parental - Senado Federal, dia 10/06/2013, na Comissão de Direitos Humanos e Cidadania do Senado Federal.
Fone: (11) 99629.8369 e-mail: apase@apase.org.br

Analdino Rodrigues Paulino Neto, Presidente da ONG APASE, com o Senador Paulo Paim, mostrando a camiseta da Alienação Parental

 

Falsas acusações de abuso sexual - Delegada

Dra. Joana D''Arc

 

FALSAS ACUSAÇÕES DE ABUSO SEXUAL:
ESTA DENÚNCIA DESTRÓI PAIS E FILHOS ENVOLVIDOS 

Falsas acusações de abuso sexual fazem parte da manipulação do genitor guardião para afastar inexorável e definitivamente os filhos do genitor não guardião. 

É uma tortura e tirania inconcebível e inaceitável com inocentes e indefesas crianças e adolescentes

Esta é a mais perniciosa e malévola forma que a Alienação Parental pode se apresentar e a mais grave, difícil e destruidora acusação que um pai pode receber. 

A Falsa acusação de abuso sexual é muito difícil de ser desvendada e pode demorar tanto tempo, que mesmo se comprovando que a mesma é falsa, a relação do genitor com os filhos já estará demasiadamente comprometida pela perda dos vínculos, principalmente o amor, o afeto e a confiança. Estes vínculos perdidos dificilmente poderão ser recompostos, causando danos que acompanharão todos pelo resto da vida.

Somente profissionais especializados, qualificados ou muito experientes devem atuar em casos de Falsas acusações de abuso sexual, não corra riscos. Caso contrário contrate uma consultoria.

Não enfrente seus problemas sozinho: ONG APASE - Associação de Pais e Mães Separados www.apase.org.br, apase@apase.org.br e 11-99629.8369 Tim. Atendemos qualquer cidade do país. 

Participe do nosso Grupo de discussões no Facebook. Abrace a causa que também é sua: ADICIONE amigos ao nosso Grupo para tornarmos mais fortes e representativos. Assim podemos cobrar e exigir. : Alienação Parental, Guarda Compartilhada, Falsas Acusações: https://www.facebook.com/groups/382498801785245/

Recomende aos seus amigos para também ADICIONAR: Modo de Fazer: Localize a caixinha à direita da página do nosso Grupo, abaixo do número de membros, em “+ Adicionar pessoas ao grupo”; copie o nome de um amigo de cada vez do seu Facebook e cole na caixinha “+ Adicionar pessoas ao grupo” . Assim que aparecer o nome com a foto do seu amigo, clique no nome para o mesmo entrar para a "Caixinha". Rápido e fácil.

 

  Analdino Rodrigues Paulino Percorrendo o Brasil - Com a filha, atravessando o Rio Cuiabá

FALSA ACUSAÇÃO DE ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS OU ADOLESCENTES 

É uma versão construída por um acusador para incriminar principalmente o pai ou a mãe, esta em proporções infinitamente menores, por estupro de vulnerável, na definição legal, que consiste em atos libidinosos ou de violência sexual contra crianças ou adolescentes, quando na realidade não houve prática de abuso por parte do acusado.

As acusações podem ser relatadas originalmente pela suposta vítima, em ínfima proporção, ou por um adulto em nome da criança ou adolescente. Geralmente a mãe acusando o pai ou o pai acusando a mãe, neste caso também em proporção infinitamente pequena.

Estudos mostraram que a maioria das falsas alegações originam-se com um adulto trazendo as acusações em nome de uma criança, sendo que a grande maioria ocorre durante litígios de separação e guarda de crianças e adolescentes. Mas também acontece frequentemente quando o ex-parceiro inicia ou torna público um novo relacionamento ou é descoberta uma relação extra-conjugal, ou também em casos de rejeição, quando o acusador é rejeitado pelo acusado, dentre outras situações menos encontradas

Os efeitos psicológicos da falsa acusação para as crianças ou adolescentes são idênticos quando as mesmas realmente são abusadas.

  Foto 1 - Junto a monumento criado por Oscar Niemayer em homenagem à Coluna Prestes. Foto 2, palestra para Grupo de Estudos de Assistentes Sociais do Tribunal de Justiça de São Paulo

TV Globo - RS entrevista ONG APASE: Analdino Rodrigues Paulino - A ONG APASE, Associação de Pais e Mães Separados, www.apase.org.br , apase@apase.org.br , (11) 99629.8369, com o trabalho desenvolvido para conscientização da Alienação Parental, Guarda Compartilhada e Mediação Familiar repetiu o caminho e a saga da Coluna Prestes. O trabalho de campo, para conscientização da Alienação Parental, desenvolvido pela ONG APASE, começou em Mato Grosso, em março de 2010, seguindo as pegadas da Coluna Prestes.

Visitamos o poder judiciário nas 3 instâncias: Varas de Família, da Infância e Juventude e Criminal; Órgãos Técnicos dos Fóruns (Dptos. De Psicologtia e Assistência Social), Conselhos Tutelares, CREAS, Delegacias da Mulher, Delegacias da Infância e Adolescência (municipais) incluindo o Ministério Púbolico; os Tribunais de Justiça Estaduais e Procuradorias Gerais dos Estados (Ministério Público Estadual), CNJ, STJ e STF (Federais), Faculdades, Universidades, OABs, CRPs e CRESSs. Escolas da Magistratura, Escolas do Ministério Público e entidades sociais ou de atendimentos a crianças e adolescentes com audiências e palestras nos órgãos acima citados e entrevistas para a mídia televisiva, escrita e falada.

Concomitantemente percorremos todas as capitais brasileiras e mais de 100 municípios no interior do país e completamos o caminho da Coluna Prestes em 15/04/2013, com a chegada a Santo Ângelo -- RS, Região das Missões, no Rio Grande do Sul.

Registramos com fotos o Memorial da Coluna Prestes, em antiga Estação de Trem da Rede Ferroviária Federal e o Obelisco e Placa em homenagem à Coluna Prestes desenhados e doados à cidade de Santo Ângelo por OSCAR NIEMEYER.

 

Voltar para a página Inicial: www.apase.org.br